Quero casar, e agora?

quero-casar,-e-agora-10259

O casamento é mesmo uma fase de grandes mudanças, que representam uma transformação profunda de todo um modo de vida. Afinal, aquela pessoa que desde seu nascimento é livre e independente, passará agora a dividir sua vida com outra pessoa, em uma casa diferente, com uma rotina própria, compartilhando vivências e constituindo uma nova família. E é justamente por se tratar de uma decisão que trará fortes alterações à vida dos futuros cônjuges que essa escolha precisa ser feita com calma, prudência e baseada na avaliação e consideração de vários aspectos.

Parece difícil? Calma! Depois da leitura do post de hoje, você com certeza terá em mãos elementos que o ajudarão a tomar essa decisão de forma segura e tranquila. Preparamos aqui um material completo, que dará o empurrãozinho que falta para você sair da tal dúvida do “quero casar ou não” e identificar se está mesmo pronta para casar ou se está, realmente, investindo em um namoro para casar. E mais: ainda vamos tirar todas as suas dúvidas sobre como se casar e por que casar, compartilhando dicas incríveis para você planejar o casamento perfeito. Confira!

Quais são os sinais de que você está pronto para casar?

Como já bem afirma o ditado popular, onde há fumaça, há fogo. Mas o que isso tem a ver com casamento? Tudo! Se vocês estiverem mesmo prontos para se casar, alguns sinais certamente aparecerão. E aí está a tal fumaça anunciando o fogo. Mas que sinais são esses? É justamente sobre isso que iremos tratar a seguir.

Maturidade individual e do parceiro

O amor, sem sombra de dúvidas, é o elemento essencial para compor a base de um relacionamento a dois. Mas essa base não deve ser constituída apenas por esse sentimento, viu? Outros valores também são fundamentais para construir um relacionamento sólido e duradouro. A maturidade é um deles.

Não adianta vocês nutrirem um sentimento recíproco e verdadeiro se um dos lados (ou às vezes ambos) não possuir maturidade suficiente para assumir as obrigações e responsabilidades inerentes a um casamento. Afinal, casar vai muito além de fazer uma bela festa! O casal passará a estabelecer uma vida em comum que, fatalmente, será composta por momentos felizes e outros não tão felizes assim. Ou seja: em um casamento, assim como na vida, nem tudo são flores, alegria e felicidade. Tristeza e desentendimento também fazem parte da rotina.

Possuir maturidade para enfrentar essas atribulações e situações adversas, consolidando a união, é importantíssimo. Por isso, se um dos lados der sinais de que ainda preza muito pela liberdade e independência, esse pode um forte indício de que ainda não há maturidade suficiente para assumir um compromisso tão sério quanto o matrimônio.

Rumos do relacionamento

A trajetória do relacionamento também é um dos indicativos que precisa ser avaliado para descobrir se o casal está realmente pronto para essa nova etapa. Se vocês construíram uma história sólida, em que a aproximação, o envolvimento e o compromisso foram aumentando gradativamente, há uma forte tendência para que a união definitiva desse casal, por meio do casamento, se dê de forma espontânea e natural. Mas atenção: isso não implica dizer que casais com pouco tempo de relacionamento não estão prontos para casar, ok? De jeito nenhum! Tudo depende muito da história de vida de cada casal.

Não é difícil encontrar casais felizes, em relações estáveis e duradouras, que se conheceram e, em poucos meses, já estavam casados. Da mesma forma, há casais que namoraram por anos e anos a fio e que, logo após o casamento, acabaram se separando. É tudo muito relativo. O importante é observar a lógica do relacionamento: reconhecer se a trajetória da vida a dois, independentemente do tempo do relacionamento, aponta ou não para a possibilidade de uma união em definitivo.

Comunhão de sentimentos e valores

Por mais que, na física, os opostos se atraiam, essa lei nem sempre se aplica quando o assunto é relacionamento. Tudo bem que diferenças de aptidões e gostos são normais em um casal, afinal, são seres únicos, com características próprias e peculiaridades diversas. O problema surge quando as diferenças são tão gritantes que acabam interferindo demasiadamente no equilíbrio e na harmonia do relacionamento.

Se seu amado tem um espírito aventureiro e livre, mas você não suporta a ideia de levar uma vida nômade, essa diferença pode acabar desequilibrando a relação. Por mais que vocês se amem, em algum momento, um dos lados ou mesmo ambos terão que ceder, um pouco de cada vez.

Caso vocês percebam que essas diferenças são tão grandes a ponto de se tornarem insustentáveis, é melhor adiar um pouco a decisão de se casarem, ajustando os ponteiros. Nesse sentido, uma conversa franca é extremamente aconselhável, a fim de que o casal possa verificar, em conjunto, quais serão os rumos desse relacionamento, priorizando atitudes e escolhas que venham a refletir positivamente na futura união.

Estabilidade profissional e financeira

A famosa música do cantor e compositor Paulinho da Viola, Pecado Capital, já dizia que dinheiro na mão é vendaval. Pois é. A questão econômica também faz parte da vida de um casal. Uma vida financeira desequilibrada, em que o dinheiro é utilizado de forma desordenada e sem nenhum tipo de priorização, como um verdadeiro vendaval, costuma trazer desarmonia para o relacionamento e situações de insegurança. Isso pode, inclusive, causar o que os especialistas chamam de traição financeira.

Por isso, o aspecto econômico também precisa ser analisado para decidir se já é a hora certa de casar. E, nesse quesito, estabilidade financeira e profissional são peças-chave. Se os dois já possuírem estabilidade, tanto financeira como profissional, perfeito. Provavelmente vocês já chegaram a uma condição que permite o início de uma vida a dois com relativo conforto e segurança. Caso contrário, por que não adiar um pouco mais o casamento? Por que não esperar até que uma condição mais favorável, do ponto de vista econômico, se estabeleça? Esses são alguns dos questionamentos que o casal precisa fazer na hora da decisão final quanto ao casamento.

Por isso, não tomem nenhuma atitude apressada ou motivada apenas pela emoção! Analisem com calma, parcimônia e racionalidade os vários ângulos dessa questão, para chegarem a uma conclusão definitiva e acertada. Afinal, vocês não vão querer iniciar uma vida a dois de qualquer jeito, não é mesmo?

Proximidade e envolvimento das famílias

Existe um ditado popular que diz que não não se casa com a noiva, mas sim com a família inteira dela. Esse ditado carrega consigo uma grande sabedoria popular: estabelece-se naturalmente um estreitamento entre as famílias dos pombinhos que resolvem se unir pelo matrimônio. E com o casamento, a interação e o convívio da noiva com a família do noivo aumenta ainda mais. E vice-versa. Por isso, se esse relacionamento é saudável e cortês, é um forte sinal de que vocês estão prontos para enfrentar essa fase do relacionamento.

Mas não confunda as coisas: isso não significa dizer que se essa relação não é tão íntima e amigável assim vocês estão fadados a nunca poderem se unir em matrimônio! Caso isso ocorra, vocês apenas terão um pouco mais de trabalho para conduzir essa situação e administrar as possíveis diferenças existentes. Mais uma vez, a dica é: paciência e diálogo aberto.

Namoro para casar: isso realmente existe?

Quando estamos apaixonados, passamos por uma verdadeira explosão de sensações e sentimentos. O coração bate acelerado, as pernas tremem, as mãos ficam geladas e por aí vai. Alguns, contudo, não conseguem passar da etapa da paixão platônica. Outros preferem estabelecer apenas uma relação casual, vivendo uma grande aventura. Já os mais envolvidos e embalados pelo clima de romance, concretizam essa paixão com o início formal de um relacionamento: o namoro.

Mas para que as pessoas namoram? Todas as pessoas que namoram querem casar? Existe o tal namoro para casar? Na verdade, não existe uma regra rígida ou norma indissolúvel. O que muda é o grau de envolvimento entre os parceiros. Se um casal de namorados se gosta, mas não há um grau elevado de fidelidade e comprometimento, é bem possível que esse namoro não evolua para uma união sólida e estável como o casamento. Na maioria esmagadora dos casos, os namoros que evoluem para o casamento são aqueles em que comprometimento, fidelidade e seriedade são a tônica da relação.

É exatamente por isso que as pessoas usam a expressão namoro pra casar. Quando você deseja algo fortemente, é necessário empenho e dedicação para chegar a um objetivo ou uma meta. Usando essa analogia para o casamento, se um casal pretende casar, é necessário um esforço mínimo para que a relação se solidifique e evolua para o casamento. Quem trata a relação casualmente, talvez não esteja levando tão a sério a possibilidade de assumir um compromisso maior.

Mas, afinal, por que casar?

A maioria das pessoas sabe (ou pelo menos deveria saber) que a transição da fase de namoro para casamento abrange uma série de mudanças. Na maioria dos casos, durante a fase do namoro, as pessoas moram em casas separadas (cada um no seu cantinho) e têm uma certa independência e liberdade. Pode ser, por exemplo, que elas não se encontrem todos os dias e quase não durmam juntos na mesma cama.

Já quando a convivência e o estreitamento se intensificam a ponto de os apaixonados dividirem suas vidas em um convívio intenso, essa relação evolui, quase que espontaneamente, para o casamento. Quando isso acontece, na verdade, o namoro já está assumindo ares de casamento. Inclusive, é muito comum, nesse tipo de situação, as moças denominarem os parceiros denamoridos, o que indica claramente que o namoro passa a possuir características de casamento.

Mas o que leva as pessoas a essa vontade de se casar? Vamos pensar um pouco mais para entender essas motivações? Acompanhe o raciocínio:

Amor e companheirismo

Esses talvez sejam os sentimentos que mais motivem as pessoas a estabelecerem uma relação séria e comprometida por meio do casamento. É claro que há casos em que outros interesses motivam a união, até mesmo interesses ocultos (financeiros inclusive). Mas essa não é a tendência geral. Essas são situações isoladas que, na maioria das vezes, resultam em relações frágeis, doentias e que não se sustentam.

Na grande maioria dos casos, uma ligação séria como o casamento começa mesmo no fortalecimento dos laços de amor que unem o casal, com o crescimento gradativo da cumplicidade e do companheirismo.

Formação de uma família

Outro grande motivador para o casamento é o desejo de se formar uma família. Antigamente, havia muita pressão social pelo casamento. Hoje em dia, essa decisão é tomada, cada vez mais, apenas por livre e espontânea vontade do casal, que amadurece e decide a hora certa de assumir um compromisso e constituir uma família. E não importa se essa união não será formalizada (traduzindo-se apenas em uma união estável) ou como será a formação do casal (um homem e uma mulher, dois homens ou duas mulheres): o importante mesmo é o desejo sincero de constituir uma família.

Outro aspecto muito considerado quando o assunto é a formação de uma família é o desejo de se ter filhos. Alguns casais assumem o casamento com o compromisso e o desejo sinceros de ter filhos. Assim, esse acaba sendo, em certos casos, mais um catalizador para a decisão pelo casamento.

Como se casar: quais os passos para o grande momento?

Se você chegou até esse ponto da leitura com empolgação e considerando que todos os pré-requisitos e aspectos descritos neste artigo foram preenchidos a contento, é bem provável que você já esteja com quase 100% de certeza que está mesmo chegando a hora de casar. Nesse caso, parabéns! Continue acompanhando e conheça excelentes dicas sobre a etapa de planejamento para o casório.

Mas se você ainda continua um pouco duvidoso se essa é mesmo a hora ideal para se casar, não desanime. Continue a leitura mesmo assim, afinal, quando estiver decidido, você já estará afiado, por dentro de tudo que deve fazer para planejar o casamento perfeito. Então vamos em frente!

Escolhendo a data do casório

O marco inicial para o planejamento de um casamento é a definição da data da união. Se vocês já passaram da etapa da decisão e estão certos de que o casamento será mesmo o próximo passo desse relacionamento, é fundamental que estabeleçam um calendário e marquem uma data para o compromisso, nem que seja aproximada (mês e ano).

Apenas alguns meses, 1, 2 ou 3 anos: pouco importa o prazo estabelecido. O importante é saber quanto tempo vocês terão entre a decisão de casar e o casamento propriamente dito, afinal, até lá muitas providências precisam ser tomadas. Além do mais, por mais simples que seja essa união, a maioria dos noivos quer celebrar e convidar ao menos familiares e amigos mais próximos. E aí está outro motivo para definir logo a data do casório.

Definindo a questão da moradia

Outro ditado bem popular sobre casamento e moradia diz que quem casa quer casa. E é isso mesmo! Apesar de alguns casais permanecerem morando juntos na casa dos pais, o ideal mesmo é que os pombinhos se instalem em um cantinho só seu, afinal, só o fato de se casarem já será muita novidade nessa nova etapa. Por isso, o passo seguinte será acertar logo a questão da moradia.

É importante manter um diálogo aberto sobre as opções existentes (casa, apartamento, quitinete), a realidade financeira do casal e qual será o caminho a ser seguido: comprar ou alugar um imóvel? Além dos gastos de uma possível festa de casamento, há também os custos relativos à moradia e à sua manutenção (contas de água, energia, internet e assim por diante). Portanto, discutir essas questões na fase de planejamento é praticamente uma obrigação.

Façam um planejamento financeiro para verificar qual a real situação econômica presente e futura do casal. Hoje em dia, há uma série de guias e planilhas disponibilizadas gratuitamente que são muito úteis nessa etapa de planejamento. E guarde desde já que uma boa educação financeira é indispensável para um casal.

Cuidando dos preparativos

Agora que vocês já definiram a data do casório e a questão da moradia, o que falta mesmo é decidir se realmente haverá uma celebração. Antes de partir para os detalhes e preparativos da festa, decidam primeiramente os critérios globais.

Primeiramente: o porte da festa. Vocês farão apenas uma festa íntima para poucos convidados ou um evento pomposo para uma grande celebração? Decidido isso, partam para a escolha do estilo da cerimônia. Casamento de dia, no fim da tarde, casamento à noite, na praia ou no campo? Esse item será fundamental para nortear todas as escolhas que serão tomadas a seguir. Já de posse das informações sobre o porte e o estilo da festa, aí sim vocês podem partir para os detalhes propriamente ditos.

Escolham o local onde será realizada a festa e a cerimônia. Se decidiram casar na igreja e fazer uma grande celebração depois da cerimônia, atentem-se para conciliar a agenda desses dois ambientes (salão e recepção). Feito isso, resolvam a questão dadecoração. Escolham tons e detalhes que combinem com o estilo da cerimônia. Para casamentos à beira-mar, optar por tons florais e uma decoração mais leve e despojada é o ideal. O mesmo se aplica para casamentos de dia ou em fim de tarde. Se decidiram fazer um mega evento à noite, fiquem à vontade e soltem a criatividade. Noivos arrojados podem ousar na decoração, escolhendo cores fortes e vibrantes, enquanto os mais conservadores e tradicionais têm a opção de decorações com um toque sóbrio ou vintage. Aqui a recomendação é uma só: façam escolhas que combinem com o casal.

Não deixem de definir também como serão os convites. Procurem escolher modelos, cores e formatos que combinem com a decoração que da festa, afinal, esse será um prenúncio de como será a celebração. E não se esqueçam de enviar os convites com antecedência, convidando também os padrinhos com uma boa margem de tempo. E o mais importante de tudo: as alianças! Comprem um modelo que combine com vocês. Hoje em dia, o mercado oferece as mais diversas opções, desde alianças tradicionais e clássicas até modelos sofisticados e modernos. Tem pra todos os gostos!

Itens que também não podem ser esquecidos: buffet, música e cerimonial. Planejem tudo com calma e antecedência. O ideal é que vocês façam uma lista de todos os itens que terão que providenciar: uma espécie de passo a passo para orientar a organização da festa e permitir um acompanhamento das providências e medidas a serem tomadas sem afobação.

Festejando antes mesmo do casório

A maioria dos noivos não dispensa também uma boa celebração pré-casamento. E tem comemoração para todos os estilos: chá de panela, chá de lingerie, chá de enxovalchá bardespedida de solteira e muito mais! Não importa qual será o tipo de celebração pré-casamento: o importante é festejar muito essa etapa preparatória, aproveitando e curtindo cada momento ao lado dos amigos queridos e familiares. Afinal, essa é realmente uma etapa singular na vida de um casal.

Além do mais, esse tipo de celebração é muito importante para auxiliar os pombinhos a montarem e organizarem adequadamente seu futuro lar doce lar. Por isso, anime-se: decida quais são as celebrações pré-casamento que não poderão ficar de fora de sua lista e mãos à obra!

Chegando o grande dia

Depois de muito planejamento e preparação, é chegado o grande dia. Nesse momento, a melhor dica não poderia ser outra: relaxe e aproveite! Curta ao máximo cada segundo, afinal, esse momento estará para sempre na lembrança do casal. E não vá se desesperar ou ficar estressado demais. Para tanto, delegue responsabilidades e se tranquilize, já que você planejou tudo direitinho. E caso aconteçam imprevistos, curta mesmo assim! E não esqueça de partir do casório diretamente para uma formidável lua de mel que vocês também organizaram com a devida antecedência.

Agora que chegamos ao final do nosso artigo, é hora de parar e refletir um pouco sobre tudo o que foi dito e sobre todos os aspectos que devem ser considerados por um casal quando o assunto é casamento. Vejam como foi longo o caminho percorrido. Vocês se conheceram, consolidaram um relacionamento, construíram juntos uma história de amor e decidiram, depois de analisar muitos aspectos, que o casamento será a consolidação dessa união. Parabéns! Vocês estão prestes a constituir uma nova família.

E como esse é um passo muito sério, a dica do grand finale não poderia ser outra: calma, paciência e tranquilidade. Não tomem decisões impensadas. Se estiverem decididos e resolverem iniciar mesmo essa caminhada, então façam-na com responsabilidade e maturidade. Consolidem essa bela união com evolvimento e comprometimento para que ela se eternize como uma linda história de amor.

E então, gostou do nosso post? Vai mesmo casar ou resolveu esperar mais um pouquinho? Compartilhe conosco seus medos e desejos deixando um comentário!

2017-06-08T14:04:54+00:00

2 Comentários

  1. […] porque você tirou a sorte grande! O próximo passo para esse relacionamento ideal só pode ser o casamento, certo? E se você já está pensando exatamente nisso, parabéns de novo! Essa é uma etapa de […]

  2. […] Para quem deseja casar, o pedido de casamento surpresa é um dos grandes sonhos. Noivas esperam receber um pedido inesquecível e os noivos quebram a cabeça planejando a forma mais criativa de fazer a pergunta mágica. […]

Deixar Um Comentário